14

MA POUPÉE CLARISSE

Oi!! Como vai você ?


Trago hoje essa formosura francesa que encontrei por acaso no Mercado Livre. Costumo navegar diariamente, para comprar ou buscar informações. Nesse dia tive a sorte de encontrar a Clarisse e outra estrangeira que mostrarei na próxima postagem.


Clarisse é uma Ma Poupée (minha boneca), da marca Moulin Roty e acredito que ainda seja fabricada. Ela tem a cabeça e os membros de vinil e o corpinho bem maleável de tecido solf. Mede 26cm. Temos olhinhos pintados e uma suave maquiagem. Seus cabelos são bem cheios e seu tom de pele é moreno rubro. Chegou novinha, com roupinhas e sapatos originais, apesar desse não ser da mesma cor e modelo da imagem de catálogo que encontrei. 


Clarisse é francês e significa "luminosa"

Quando encontrei essa francesinha, fiquei na dúvida sobre sua história, então perguntei para minha amiga Juliana Dantas, que é colecionadora e entende muito sobre bonecas estrangeiras, e ela me falou que eu havia encontrado um tesouro. Fiquei feliz em saber e como forma de agradecimento por tudo que aprendo com ela, lhe pedi que batizasse a Clarisse e a Lygia. Ela gostou!! ❤




Imagem do Mercado Livre

Estava novinha, mas tinha que limpar. Enrolei no plástico bolha pra não molhar o corpinho e fiz o de sempre: lavei e hidratei os cabelinhos, lavei as partes de vinil. Ficou cheirosa como tem que ser.



Pesquisando na internet descobri que são 5 ou mais Ma Poupée: Clarisse, Louise, Maia, Nani, Alice e outras. São vendidos kits de roupinhas lindas para elas; acho que elas devem ser as queridinhas das francesinhas, né ? 

Bora ver imagens ?? Encontrei tudo no mundão da Google.











Eu estou apaixonada, quero todas pra mim!!! J'adore les poupées!! ❤❤

Quem tiver alguma informação sobre essas pequenas e quiser compartilhar comigo, ficarei muito grata.

Abraço fraterno!!

10

CONHECENDO OUTROS BLOGS

Oi, tudo bem ?

Se tem uma coisa que eu gosto e faço quase que diariamente, é visitar blogs. Visito, comento, e se tiver oportunidade, participo das atividades que os blogueiros propõe.

Atualmente, estou envolvida com blogs de colecionismo, em especial, de bonecas. 

Pesquisando as lindas bonecas da marca FAMOSA, me tornei seguidora de vários blogs espanhóis. As blogueiras espanholas gostam, como eu, de visitar e comentar nas postagens dos outros blogs. Urruuu!!! 

E foi assim que me inscrevi e fui aceita para participar do projeto de entrevista de colecionadores de bonecas, da Ilona, do blog Muñecas A Los Cincuenta (Aqui). Ela também fez o sorteio de um vestido para a boneca Nancy. Eu não fui a premiada, mas fiquei muito feliz em participar e assim, poder conhecer tantas pessoas legais. Estou muito grata a Ilona!!

Aí, resolvi postar aqui a entrevista, mas se você der uma olhada no blog da Ilona, vai ver as entrevistas das outras participantes também.

*************

1. Olá, Erika, você pode se apresentar ?

Oi! Eu sou a Erika Valeria, tenho 50 anos, sou casada há 30. Tenho 3 filhas adultas e um neto. Sou professora e dividomeu tempo com trabalho, família, minha cachorra e meus hobbies favoritos: bonecas e scrapbook.


2. Quando e por que você começou sua coleção ?

Guardei 2 bonecas e um macaco de pelúcia da minha infância. Em 1998, mamãe começou a me presentear com mais bonecas. Desde então, venho sempre aumentando minha coleção. É uma paixão antiga.


3. Quantos bonecos você tem em sua coleção ? Qual foi o primeiro ?

Tenho 98 bonecas e 11 bichos de pelúcia. O primeiro é um bebê Chiquitin, anos 60, que ganhei de meu avô, em 1971. Tenho muito amor por esse boneco, ele se chama Jorge.


4. Onde e como você os guarda ?

A maior parte da minha coleção fica em um móvel expositor planejado que encomendei e é como uma vitrine, mas também tenho bonecas em prateleiras e armários fechados. Tudo isso fica em meu atelier de Scrapbook.



5. Como sua família vive o seu hobby ?

Todos têm muito respeito pela minha atividade como colecionadora; admiram e falam para os amigos, seguem minhas postagens e me presenteiam com bonecas. Apenas o meu neto de 6 anos tem ciúme e fala que eu tenho muitas bonecas.

6. Que tipo de bonecas você prefere ? Qual a sua favorita ?

Eu amo bonecas de quase todo tipo, mas as minhas preferidas são as da Brinquedos Estrela, das décadas de 70 e 80, como a Beijoca e a Amiguinha. Foram essas que fizeram parte da minha infância. Na minha coleção, mais amada é a Minuche, da TROL, porque ela também foi presente do meu querido avô, em 1980. 



7. Você tem bonecos personalizados ?

Sim, tenho duas: uma Icy Doll e uma Maçãzinha. A Icy foi customizada por uma artista de São Paulo, a Eliana Saito, que personalizou seguindo minhas preferências.


8. Você personaliza suas bonecas ?

Sim. Personalizei uma Maçãzinha que virou uma Chiquinha, amiga do Chaves. Fiz uma nova maquiagem, implantei cabelo de lã, encomendei roupinha igual da personagem e fiz os óculos. 

9. Qual a última boneca a chegar em sua coleção ?

As últimas chegaram juntas e foram Clarisse Ma Poupée, uma francesinha da Moulin Roty e uma alemã linda da Zapf Creation.


10. O que você gostaria de ter em seguida e por quê?

Duas bonecas estão em meus sonhos: a Menininha, da Estrela e a Journey Girl Kelsey Austrália 2017. São lindas!!!


11. Você coloca um limite para sua coleção ? 

Coloco sim, por uma questão de espaço e organização, principalmente. Prefiro ter poucas, mas que estejam protegidas e bem cuidadas sempre.

12. O que você mais gosta de colecionar bonecas ?

Gosto muito de dar banho e arrumá-las, tirar fotos, pesquisar na internet para escrever meu blog, participar dos encontros de colecionadoras da minha cidade. Tudo isso para mim é amar e brincar de bonecas.

É isso aí! Espero que tenha gostado, porque eu amei!!

Abraço fraterno.

11

MAMMY QUERIDA

Oi!! Como vai você ?

Dia desses tive a surpresa maravilhosa de ganhar essa boneca linda de viver!!



Priscila, minha cabeleireira, recebeu de sua prima um saco de brinquedos para doação. Junto havia uma boneca que ela havia conhecido na infância. Ao vê-la, lembrou logo de mim. Que coisa tão boa, ser lembrada como amante de bonecas!!! Fico muito agradecida!

❤ Obrigada, Priscila, por esse presente tão especial! ❤

A Mammy estava perfeita, só precisava de cuidados no Spa da Vovó Erika. E foi o quê ela ganhou: retirada de manchas com Acnase e sol, banho e hidratação dos cabelos, limpeza da roupinha e carinho, muito carinho.




Dei a ela o nome de Priscila, que significa "antiga, venerável" e vem do latim.


A Mammy é uma boneca mecânica da Brinquedos Estrela. Mede 45cm, tem cabelos enraizados e penteáveis, lindos e macios que dá gosto. Seus cílios são enraizados e as sobrancelhas pintadas. A cabeça e os braços são de Vi-vinil, mas o corpo e as pernas são de plástico inquebrável. Ela vem com um bebê e o bercinho, que ela balança no berço ou embala nos braços ao som de uma canção de ninar. Funciona com duas pilhas médias. Foi fabricada na década de 80. A minha é de 1989.


Mammy Priscila funciona, mas seu bebê e o bercinho não vieram junto. 


Uma certeza na vida eu tenho: Deus é sempre muito bom comigo!! E eu sou infinitamente grata por isso.

Abraço fraterno.
8

LES GIRLS NÁDIA LIPPI



Essa é a primeira vez já inicio uma postagem com foto e darei logo os créditos da belíssima imagem para minha colega, fotógrafa e colecionadora, Alice Doll Haus (Aqui), que sempre em nossos encontros de bonequeiras, fotografa as dolls de forma única.

Você conhece essa boneca que apresento hoje ? Ela é a simpática Les Girls, as garotas de hoje, da Brinquedos Estrela, fabricada em 1987. Ela faz parte de uma coleção de seis bonecas, vestidas bem moderninhas e que tem vários acessórios como bolsinhas, colares, pulseiras e outros. 

A boneca mede 42cm. Sua cabeça e seus braços são de Vi-vinil bem duro e as pernas e o tronco de plástico inquebrável. Seus olhinhos, cílios e sobrancelhas são pintados. Tem uma maquiagem bem leve, boquinha pintada e brincos pintados nas orelhas. Muito fofa!! Ela é totalmente articulada. Os cabelos são enraizados e lindos, todo encaracolado. 

Comprei ela da Fernanda Melanda (Aqui). Chegou toda original e completa, só precisando dos cuidados da Dona Vovó. As Les Girls não fizeram parte da minha infância. Em 1987 eu já trabalhava e estava começando meu curso superior, mas quando vi essa dos cabelos cacheados, soube que logo teria uma.  

Com acessórios e roupa original

Estava com algumas manchas de caneta e hidrocor. Usei Acnase e coloquei no Sol. Depois disso, banho e hidratação nos cabelos. Remodelei os cachos e usei Creme de pentear da Xuxinha, que deixa os cabelos cheirosos, hidratados e fáceis de modelar. As roupinhas foram lavadas e guardadas, porque uma coisa que eu não gosto das Les Girls, são as roupas. 


Lana Araújo (Aqui) tinha esse vestidinho para Gui Gui que deu certinho nela. Na minha opinião, ficou muito mais bonita.




Escolhi o nome Nádia por causa de seus cabelos cacheados que me lembraram a atriz Nádia Lippi, na novela As três Marias, exibida pela Rede Globo, em 1980. Nádia é um nome árabe e significa "mensageira".




Imagem do catálogo no blog da Ana Caldatto (Aqui)

As bonecas mais transadinhas que existem. 
Elas trocam pulseiras, tem fitinhas, pentinhos, 
sacolas, bolsas e muitos outros acessórios.


Elas são engraçadas, coloridas e fofinhas, não são ??

Abraço e até a próxima postagem.

10

DONA VOVÓ AINDA É CRIANÇA

Oi!! Tudo bem ?

Hoje escrevo sobre os brinquedos e as brincadeiras em minha vida, do que costumava brincar, minhas lembranças acerca do assunto e como brinco atualmente.

Sempre gostei muito de bonecas, desde miúda. Elas eram minhas companheiras eternas e fiéis. Como fui uma criança com alguns problemas de saúde (tenho asma), era muito solitária. Então, elas eram minhas amigas, filhas, alunas, pacientes, tudo que minha imaginação criasse. Mas fui muito feliz, porque fui muito amada por minha mãe e avó, tive meu irmão que foi meu companheiro e nós tivemos muitos brinquedos.

Lembro de algumas bonecas que tive: Rita, Ivete, Riso, Valentina, Fofolete, Minuche, Susi, Mônica, Garotão, meu bebê Chiquitin Jorge, Kiti, Lili, Carinhosa, meus ursos, ovelha e macacos de pelúcia e muitas bonecas de pano que minha avó e minha mãe faziam. Mamãe fazia bonecas de pano lindíssimas, de todos os tamanhos. Fiz comida com flores, folhas e sementes num fogãozinho de plástico bolha, usando panelinha de barro ou de plástico. Bebi muito chá com minhas bonecas e fiz roupinhas para elas também. Certa vez, ganhei da empresa que meu pai trabalhava, o joguinho Colorex, da ATMA. Adorava esse brinquedo!! Pois é, na minha infância, muitas empresas presenteavam os filhos dos funcionários no Natal, ganhei vários presentes assim.

Também brinquei muito com jogos, carrinhos, forte apache, soldadinho de chumbo, tiro ao alvo, laboratório de química,... tudo isso era do meu irmão Renato. Olha nós dois, eu com 5 anos e ele com 7.

Eu pedia que ele brincasse comigo e ele topava fazer restaurações dentárias em minhas bonecas e fazia a mudança de casa delas. Colocava os móveis em seu enorme caminhão de madeira e saía puxando pela casa. Depois eu tinha que brincar do que ele quisesse, mas eu adorava. Detetive, jogos de tabuleiro do Tom e Jerry, War e dominó eram meus jogos favoritos. Dificilmente eu ganhava as partidas. Nós fazíamos campeonatos, juntávamos todos os jogos que tínhamos, que não eram poucos, e passávamos dias e dias jogando. Como era bom e como isso contribuiu com a nossa formação.

Lembro que nós tirávamos as tábuas das nossas camas e montávamos pistas e pontes para brincar com os carrinhos miniaturas de Renato. Era o dia todo brincando de cidadezinha e só arrumávamos tudo perto da hora de papai chegar, para ele não reclamar da bagunça. Tínhamos um projetor que mostrava imagens de dinossauros, kkkk assistíamos aquilo com frequência e cada um escolhia qual queria ser. E o caleidoscópio de vovó Dapaz ? Passava muito tempo, deitada no terraço dela, olhando admirada para cada desenho que se formava. No jogo Resta 1, vovô Nilton era o campeão!!

Esses brinquedos abaixo fizeram parte da minha infância também. Olha o Colorex que falei!! Na década de 70, quando o Vai-e-vem chegou lá em casa, eu e Renato ficamos de braços sarados. 

Lembro que num Natal também da década de 70, ganhamos presentes especiais. Eu ganhei um Jogo de Chá com os desenhos de Robin Hood lindooo!!! Outro dia até vi para vender um igualzinho no Mercado Livre, mas infelizmente o frete era altíssimo e desisti da compra. Renato ganhou o Meu Primeiro Laboratório. Que brinquedo supimpa!! Tubos de ensaio, lupa, lâminas de vidro e até um microscópio. Fizemos muitas experiências e aprendemos bastante. Nunca tive uma aula de Ciências e Química de forma tão concreta em toda minha vida estudantil, como quando brincava com aquele laboratório.

Aprendi a andar de bicicleta na magrela de Renato, aos 5 anos. Sozinha, me segurando no muro. Nunca tive uma bicicleta pra chamar de minha, mas tive skate e era fera. Também aprendi a andar de patins, mas esses eram emprestados das amigas.

Tínhamos muitos livros: toda a coleção do Sítio do pica pau amarelo, de animais selvagens, de dinossauros, Asterix, o gaulês, de contos de fadas e da Carochinha e tantos outros livros paradidáticos e gibis. Muitas vezes, aos domingos, papai nos levava para ver os aviões decolando no aeroporto daqui da nossa cidade e depois íamos para a livraria que havia lá. Cada um tinha direito a escolher um livro ou revistinha. Era tão legal!! Acho que o que eu mais fiz na vida foi ler, então vou precisar fazer outra postagem para contar minha longa história com os livros.

E os disquinhos coloridos de historinhas ?? Ah, como eu amava escutar várias e várias vezes as mesmas histórias!! E chorava sempre de dó do Patinho Feio, da Formiguinha e a Neve. Esses eram os meus favoritos, mas o de Renato era a História da Baratinha.

Esses foram alguns brinquedos que povoaram a minha infância, nas décadas de 70 e 80. Sou de 1968 e meu mano de 1966. Dois cinquentões!! Enquanto eu continuo brincando de bonecas, ele continua colecionando carrinhos em miniatura e envolvido com muitas atividades esportivas, de que sempre gostou.


Desde 2013, minha vida anda repleta de bonecas, que sempre apresento aqui no blog. Você vai conhecendo minhas filhotas de plástico, mas não conhece quase nada de mim. Estranho, né ? Por isso que resolvi apresentar um pouco da minha pessoa, o que vivi e vivo, meu lado criança/colecionadora. Acho que vou ficar uma vovozinha cheia de tarefas bonequeiras, puxando pela memória para contar histórias. Quem vai ouvir ?

Agora, deixa eu falar do presente, revelar algumas características minhas como bonequeira.

Algumas bonecas da minha coleção me acompanham desde a infância: Jorge, meu bebê Chiquitin (Aqui), minha Minuche Cecília e Chico, meu macaco de pelúcia (Aqui). Outras são da década de 90, quando mamãe começou a comprar as bonecas que ela não pode me dar na infância. E tem aquelas que venho comprando atualmente. 

Sempre que vou pesquisar sobre qualquer boneca, seja para fazer uma postagem ou para alguém que me pede uma informação ou até quando eu vejo uma danadinha e meus olhos brilham, eu enlouqueço para adotar. Não tem jeito, toda vez é assim. Preciso me controlar, mudar o foco da minha atenção, se não eu compro mesmo. Talvez seja por isso que minha coleção é tão diversificada: tem boneca grande, enorme, pequena, miúda, de pano, de E.V.A., de porcelana, antigas, novas, de toda marca. Amo boneca e ponto.  

Aí, aquela boneca que eu gostei e tentei esquecer, lembra ? Tá guardadinha nos favoritos do Mercado Livre, ou na minha galeria de imagens, ou no celular. Todo dia ela pisca o olho pra mim kkkkk E o pior: aparece outra, a lista só cresce, minha Nossa Senhora do Perpétuo Socorro!! E cresce numa velocidade absurda. Meu único consolo é que todo colecionador é igual ou pior que eu.

Existem muitas bonecas que quero acrescentar à minha coleção, nacionais e importadas, mas se você lê o Dona Vovó com frequência, já percebeu que tenho uma fixação pelas antigas da Estrela. Acho natural, pois foram elas que povoaram meus sonhos na infância. Menininha, Rita, Lindinha, são só algumas que fazem meu coração acelerar e que num futuro próximo estarão no meu acervo. Recentemente me apaixonei pelas Pullips, da Groove.

Toda boneca de 2ª mão que chega, ganha um dia de spa, geralmente mais de um dia. Olho o estado geral e decido o que fazer. Banho, tratamento, hidratação e penteado nos cabelos, limpeza dos olhos, retirada de manchas, lavagem das roupas e acessórios, só não conserto. Só as que compro de Alexandre Signorini não precisam de nada disso porque parecem que saíram da caixa, de tão novas e bem cuidadas. E depois, fotos, muitas fotos!! Adorooo comprar roupinhas novas para elas,mas nem sempre são réplicas, e já tenho minhas fornecedoras favoritas.

Geralmente, as fotos que faço para a postagem aqui no blog não uso em outras redes sociais. Ninguém merece ver a mesma foto no blog, no Instagram, no Facebook, etc. Também não costumo adiantar muito do conteúdo da pesquisa postada no blog, em outras redes. 


Cada boneca tem seu lugar. Só eu limpo, só eu mexo. A maior parte fica na Vitrine das Bonecas, que é como eu chamo o móvel que encomendei ao meu carpinteiro. O móvel é de MDF e possui duas portas corrediças de vidro temperado. Mede 2m de comprimento, 80cm de profundidade e 1m de altura. As caixas são protegidas com saco plástico e abertas regularmente.

A Amiguinha Fernanda e a Rosaura ficam em pé, na mesa do atelier Barquinho de Papel Scrap. É nesse espaço que faço minhas artes de scrapbook, pesquisas e  guardo minhas princesas. ❤Meu lugar sagrado❤. Ficam aí também Mike (O.O.A.K.), com sua proteção especial, a Barbie Christian Dior, Meu Bebê Bianca, meu Fofão Ângelo e no bercinho feito por mim estão Anabela Reborn, Daniel Atchim, Emília Estrela, Emília Toy e Mama Nenê. Numa prateleira exponho minhas Barbies e a Moranguinho, Titi que é a minha Zezé e outras. Também tem duas casinhas onde coloco a Moranguinho, a Uvinha e a Limãozinho da Hasbro e outras miúdas, como as Fofoletes.  


Uma parte do meu roupeiro é toda para elas. Gavetas para roupinhas e acessórios e prateleiras para guardar mais bonecas preciosas. Arrumando, tudo dá certo. Não atrapalho a dinâmica da casa com bonecas espalhadas, já que detesto bagunça. Elas não sofrem com a luz, nem com a umidade, nem cheiros. Não fumamos aqui em casa. Recebem todo o cuidado, proteção e carinho que merecem.



Quando viajo ou saio para fazer um passeio legal, sempre levo uma boneca. Geralmente é a Eudora, minha Blythe, mas também levo outras pequenas. O importante é estar bem acompanhada para fazer belas fotos e me divertir. Não dou a menor importância se ficam reparando e/ou criticando meu hobby. Gosto mesmo é quando alguém vem perguntar algo ou contar alguma história sobre seus brinquedos, sua infância. 

Como toda professora, costumo guardar informações, no caso, sobre bonecas. Vou anotando tudo o que acho importante e interessante. Tenho um caderno para isso e um Smash Book onde estou colocando só fotos das minhas meninas, esse é como um álbum de fotografia. As imagens da internet coloco nos álbuns do Pinterest. Adoro esse site, pois dá para montar um excelente banco de dados e compartilhar com todos.  

Se você leu até aqui, muito obrigada de coração!!

E se ficou alguma dúvida ou sugestão, escreve nos comentários. Vou adorar bater um papinho contigo. 

Abraço fraterno e volte sempre.