10

DONA VOVÓ AINDA É CRIANÇA

Oi!! Tudo bem ?

Hoje escrevo sobre os brinquedos e as brincadeiras em minha vida, do que costumava brincar, minhas lembranças acerca do assunto e como brinco atualmente.

Sempre gostei muito de bonecas, desde miúda. Elas eram minhas companheiras eternas e fiéis. Como fui uma criança com alguns problemas de saúde (tenho asma), era muito solitária. Então, elas eram minhas amigas, filhas, alunas, pacientes, tudo que minha imaginação criasse. Mas fui muito feliz, porque fui muito amada por minha mãe e avó, tive meu irmão que foi meu companheiro e nós tivemos muitos brinquedos.

Lembro de algumas bonecas que tive: Rita, Ivete, Riso, Valentina, Fofolete, Minuche, Susi, Mônica, Garotão, meu bebê Chiquitin Jorge, Kiti, Lili, Carinhosa, meus ursos, ovelha e macacos de pelúcia e muitas bonecas de pano que minha avó e minha mãe faziam. Mamãe fazia bonecas de pano lindíssimas, de todos os tamanhos. Fiz comida com flores, folhas e sementes num fogãozinho de plástico bolha, usando panelinha de barro ou de plástico. Bebi muito chá com minhas bonecas e fiz roupinhas para elas também. Certa vez, ganhei da empresa que meu pai trabalhava, o joguinho Colorex, da ATMA. Adorava esse brinquedo!! Pois é, na minha infância, muitas empresas presenteavam os filhos dos funcionários no Natal, ganhei vários presentes assim.

Também brinquei muito com jogos, carrinhos, forte apache, soldadinho de chumbo, tiro ao alvo, laboratório de química,... tudo isso era do meu irmão Renato. Olha nós dois, eu com 5 anos e ele com 7.

Eu pedia que ele brincasse comigo e ele topava fazer restaurações dentárias em minhas bonecas e fazia a mudança de casa delas. Colocava os móveis em seu enorme caminhão de madeira e saía puxando pela casa. Depois eu tinha que brincar do que ele quisesse, mas eu adorava. Detetive, jogos de tabuleiro do Tom e Jerry, War e dominó eram meus jogos favoritos. Dificilmente eu ganhava as partidas. Nós fazíamos campeonatos, juntávamos todos os jogos que tínhamos, que não eram poucos, e passávamos dias e dias jogando. Como era bom e como isso contribuiu com a nossa formação.

Lembro que nós tirávamos as tábuas das nossas camas e montávamos pistas e pontes para brincar com os carrinhos miniaturas de Renato. Era o dia todo brincando de cidadezinha e só arrumávamos tudo perto da hora de papai chegar, para ele não reclamar da bagunça. Tínhamos um projetor que mostrava imagens de dinossauros, kkkk assistíamos aquilo com frequência e cada um escolhia qual queria ser. E o caleidoscópio de vovó Dapaz ? Passava muito tempo, deitada no terraço dela, olhando admirada para cada desenho que se formava. No jogo Resta 1, vovô Nilton era o campeão!!

Esses brinquedos abaixo fizeram parte da minha infância também. Olha o Colorex que falei!! Na década de 70, quando o Vai-e-vem chegou lá em casa, eu e Renato ficamos de braços sarados. 

Lembro que num Natal também da década de 70, ganhamos presentes especiais. Eu ganhei um Jogo de Chá com os desenhos de Robin Hood lindooo!!! Outro dia até vi para vender um igualzinho no Mercado Livre, mas infelizmente o frete era altíssimo e desisti da compra. Renato ganhou o Meu Primeiro Laboratório. Que brinquedo supimpa!! Tubos de ensaio, lupa, lâminas de vidro e até um microscópio. Fizemos muitas experiências e aprendemos bastante. Nunca tive uma aula de Ciências e Química de forma tão concreta em toda minha vida estudantil, como quando brincava com aquele laboratório.

Aprendi a andar de bicicleta na magrela de Renato, aos 5 anos. Sozinha, me segurando no muro. Nunca tive uma bicicleta pra chamar de minha, mas tive skate e era fera. Também aprendi a andar de patins, mas esses eram emprestados das amigas.

Tínhamos muitos livros: toda a coleção do Sítio do pica pau amarelo, de animais selvagens, de dinossauros, Asterix, o gaulês, de contos de fadas e da Carochinha e tantos outros livros paradidáticos e gibis. Muitas vezes, aos domingos, papai nos levava para ver os aviões decolando no aeroporto daqui da nossa cidade e depois íamos para a livraria que havia lá. Cada um tinha direito a escolher um livro ou revistinha. Era tão legal!! Acho que o que eu mais fiz na vida foi ler, então vou precisar fazer outra postagem para contar minha longa história com os livros.

E os disquinhos coloridos de historinhas ?? Ah, como eu amava escutar várias e várias vezes as mesmas histórias!! E chorava sempre de dó do Patinho Feio, da Formiguinha e a Neve. Esses eram os meus favoritos, mas o de Renato era a História da Baratinha.

Esses foram alguns brinquedos que povoaram a minha infância, nas décadas de 70 e 80. Sou de 1968 e meu mano de 1966. Dois cinquentões!! Enquanto eu continuo brincando de bonecas, ele continua colecionando carrinhos em miniatura e envolvido com muitas atividades esportivas, de que sempre gostou.


Desde 2013, minha vida anda repleta de bonecas, que sempre apresento aqui no blog. Você vai conhecendo minhas filhotas de plástico, mas não conhece quase nada de mim. Estranho, né ? Por isso que resolvi apresentar um pouco da minha pessoa, o que vivi e vivo, meu lado criança/colecionadora. Acho que vou ficar uma vovozinha cheia de tarefas bonequeiras, puxando pela memória para contar histórias. Quem vai ouvir ?

Agora, deixa eu falar do presente, revelar algumas características minhas como bonequeira.

Algumas bonecas da minha coleção me acompanham desde a infância: Jorge, meu bebê Chiquitin (Aqui), minha Minuche Cecília e Chico, meu macaco de pelúcia (Aqui). Outras são da década de 90, quando mamãe começou a comprar as bonecas que ela não pode me dar na infância. E tem aquelas que venho comprando atualmente. 

Sempre que vou pesquisar sobre qualquer boneca, seja para fazer uma postagem ou para alguém que me pede uma informação ou até quando eu vejo uma danadinha e meus olhos brilham, eu enlouqueço para adotar. Não tem jeito, toda vez é assim. Preciso me controlar, mudar o foco da minha atenção, se não eu compro mesmo. Talvez seja por isso que minha coleção é tão diversificada: tem boneca grande, enorme, pequena, miúda, de pano, de E.V.A., de porcelana, antigas, novas, de toda marca. Amo boneca e ponto.  

Aí, aquela boneca que eu gostei e tentei esquecer, lembra ? Tá guardadinha nos favoritos do Mercado Livre, ou na minha galeria de imagens, ou no celular. Todo dia ela pisca o olho pra mim kkkkk E o pior: aparece outra, a lista só cresce, minha Nossa Senhora do Perpétuo Socorro!! E cresce numa velocidade absurda. Meu único consolo é que todo colecionador é igual ou pior que eu.

Existem muitas bonecas que quero acrescentar à minha coleção, nacionais e importadas, mas se você lê o Dona Vovó com frequência, já percebeu que tenho uma fixação pelas antigas da Estrela. Acho natural, pois foram elas que povoaram meus sonhos na infância. Menininha, Rita, Lindinha, são só algumas que fazem meu coração acelerar e que num futuro próximo estarão no meu acervo. Recentemente me apaixonei pelas Pullips, da Groove.

Toda boneca de 2ª mão que chega, ganha um dia de spa, geralmente mais de um dia. Olho o estado geral e decido o que fazer. Banho, tratamento, hidratação e penteado nos cabelos, limpeza dos olhos, retirada de manchas, lavagem das roupas e acessórios, só não conserto. Só as que compro de Alexandre Signorini não precisam de nada disso porque parecem que saíram da caixa, de tão novas e bem cuidadas. E depois, fotos, muitas fotos!! Adorooo comprar roupinhas novas para elas,mas nem sempre são réplicas, e já tenho minhas fornecedoras favoritas.

Geralmente, as fotos que faço para a postagem aqui no blog não uso em outras redes sociais. Ninguém merece ver a mesma foto no blog, no Instagram, no Facebook, etc. Também não costumo adiantar muito do conteúdo da pesquisa postada no blog, em outras redes. 


Cada boneca tem seu lugar. Só eu limpo, só eu mexo. A maior parte fica na Vitrine das Bonecas, que é como eu chamo o móvel que encomendei ao meu carpinteiro. O móvel é de MDF e possui duas portas corrediças de vidro temperado. Mede 2m de comprimento, 80cm de profundidade e 1m de altura. As caixas são protegidas com saco plástico e abertas regularmente.

A Amiguinha Fernanda e a Rosaura ficam em pé, na mesa do atelier Barquinho de Papel Scrap. É nesse espaço que faço minhas artes de scrapbook, pesquisas e  guardo minhas princesas. ❤Meu lugar sagrado❤. Ficam aí também Mike (O.O.A.K.), com sua proteção especial, a Barbie Christian Dior, Meu Bebê Bianca, meu Fofão Ângelo e no bercinho feito por mim estão Anabela Reborn, Daniel Atchim, Emília Estrela, Emília Toy e Mama Nenê. Numa prateleira exponho minhas Barbies e a Moranguinho, Titi que é a minha Zezé e outras. Também tem duas casinhas onde coloco a Moranguinho, a Uvinha e a Limãozinho da Hasbro e outras miúdas, como as Fofoletes.  


Uma parte do meu roupeiro é toda para elas. Gavetas para roupinhas e acessórios e prateleiras para guardar mais bonecas preciosas. Arrumando, tudo dá certo. Não atrapalho a dinâmica da casa com bonecas espalhadas, já que detesto bagunça. Elas não sofrem com a luz, nem com a umidade, nem cheiros. Não fumamos aqui em casa. Recebem todo o cuidado, proteção e carinho que merecem.



Quando viajo ou saio para fazer um passeio legal, sempre levo uma boneca. Geralmente é a Eudora, minha Blythe, mas também levo outras pequenas. O importante é estar bem acompanhada para fazer belas fotos e me divertir. Não dou a menor importância se ficam reparando e/ou criticando meu hobby. Gosto mesmo é quando alguém vem perguntar algo ou contar alguma história sobre seus brinquedos, sua infância. 

Como toda professora, costumo guardar informações, no caso, sobre bonecas. Vou anotando tudo o que acho importante e interessante. Tenho um caderno para isso e um Smash Book onde estou colocando só fotos das minhas meninas, esse é como um álbum de fotografia. As imagens da internet coloco nos álbuns do Pinterest. Adoro esse site, pois dá para montar um excelente banco de dados e compartilhar com todos.  

Se você leu até aqui, muito obrigada de coração!!

E se ficou alguma dúvida ou sugestão, escreve nos comentários. Vou adorar bater um papinho contigo. 

Abraço fraterno e volte sempre.

10 comentários:

  1. Juliana Dantas - Julisdolls19 de novembro de 2018 14:07

    Que maravilha o seu blog!! Está de encher os olhos! Muita boneca linda, muito brinquedo fofo da nossa infância! Adorei sua história de vida, com o companheirismo do seu irmão! Que lindos vocês dois! Então você era fera no skate! Uau! Que demais!! Dividia a bicicleta com o irmão e mandava bem no skate e nos patins! Que divertido, né? Eu andei um pouco de skate depois de adulta, mas agora tenho receio de machucar. Queria ter aprendido como você!! Parabéns!! É para ler e reler! Mil beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Juli, assim você me faz chorar, sempre me emociono com seu carinho!!
      Muito obrigada, minha amiga!!
      Pois é, mandava bem no skate, mas hoje nem me aventuro, lógico, mas a cabeça continua a mesma, louca por brincadeiras. Vou aí na tua terra para brincarmos juntas. Bora ?
      Meu irmão é uma figura, ele não sabe ficar parado. E TODO MUNDO gosta dele.
      Beijo em seu coração.

      Excluir
  2. Hola Erika!! No conocía tu Blog y me encanta, me gusta muchísimo tu historia, es muy bonita y bien explicada con recuerdos preciosos y llenos de cariño. Y que importante son en nuestras vidas los hermanos!! Nosotras somos muchas hermanas, con alguna siempre hay más afinidad que con otras , pero todas son importantísimas para mí. Las quiero inmensamente.
    Es curioso que muchos juguetes y muñecas que te veo en las fotos son parecidos o iguales pero con otro nombre en esta parte del globo terraqueo, jejejje
    Me apasionan estas cosas.
    Me hago seguidora de tu Blog, si es que sé hacerlo,, que soy bastante inutil
    Un saludo

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. ¡Hola, Itzi! Me alegro de que te haya gustado mi blog y que lo siga. Me gusta mucho leer su blog también, me encanta las muñecas españolas. Sí, escribo con mucho amor, pues es de él que me alimento. Familia, trabajo, amistades, animales, muñecas, ... amo mucho todo eso!
      Abrazo.

      Excluir
  3. Que lindo seu relato de infância amo visitar o seu blog. Bjs Até a próxima visita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha amiga do coração!! Volte sempre que eu adoro!!

      Excluir
  4. Oooohh, qué entrada más fantástica!! Me encanta conocer más cosas de tu infancia y tu relación con los juguetes y las muñecas. Yo también nací en 1966, como tu hermano, así que somos casi de la misma edad :-)
    Me gusta mucho tu armario para las muñecas, y tu habitación sólo para tus hobbys, tengo una gran envidia, seguro que en ese lugar eres muy feliz ¡y tus muñecas también!
    Abrazos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ¡Ah, Ilana, que bueno que te gustó mis recuerdos !! También me gustaría saber más historias de la infancia, recordar es vivir !! Mi canto conquistó hace unos 8 años y soy muy feliz de tenerlo.
      Muchas gracias por sus visitas aquí.
      Abrazo grande.

      Excluir
  5. Boa noite Érika!
    Vengo del blog de Ilona, donde veo que has dejado un comentario para participar en el post que ha propuesto sobre nuestra afición. Aquí también lo has explicado muy bien, cuántas muñecas distintas tienes!! No conozco casi ninguna pero son todas preciosas! Y me gusta que estén todas juntitas haciéndose compañía. Seguro que están súper cuidadas y súper contentas. Está claro que esta afición no conoce fronteras.
    Besos!

    ResponderExcluir
  6. Hola Erika, cuántas muñecas tan bonitas,que bien explicada toda tu infancia, ahora siento que te conozco, yo también llevo a veces alguna muñeca a la calle a hacerla fotos.
    Un beso

    ResponderExcluir